Fotos recentes

Confira algumas recentes fotos das Palestras e Seminários ministrados pelo país pela Profª. Maria Augusta.




Seminários

A Pedagogia Afetiva


Duração: 6 a 8 horas de duração
consultar conteúdotextetetetaasafgadfgadfgadgadfg

Aprender tem que ser gostoso...

Duração: 6 a 8 horas de duração
consultar conteúdo

Educar para SER


Duração: 6 a 8 horas de duração
consultar conteúdo

Os desafios da convivência humana na era planetária

Duração: 6 a 8 horas de duração
consultar conteúdo


Palestras

Limites com severa doçura

Partindo do princípio de que educar é contribuir para a vivência plena da cidadania precisamos abordar os temas como aqueles relacionados à falta de limites.

Sabe-se que educar não é tarefa fácil.

Cada contexto tem suas peculiaridades exigindo uma sensibilidade para perceber a melhor forma de lidar com crianças e jovens.

O desafio aumenta na proporção em que cresce o número de compromissos cotidianos e o tempo dos educadores torna-se cada vez mais escasso sofrendo as interferências de uma sociedade cada vez mais complexa.

Independentemente do pouco tempo que nós educadores permanecemos com nossos alunos é importante trabalhar com a questão do estabelecimento de limites.

Na família ou na escola, quando se fala de limites a primeira ideia que se tem é de restrição.

É possível, diante de tantas adversidades ser um bom educador, estabelecendo os limites com autoridade, sem o autoritarismo.

Abordando temas variados como a violência, más companhias, relações afetivas, atividades escolares, etc, faremos uma reflexão apontando que, construindo nossas relações afetivas, transformamo-nos em sujeitos da nossa história.

Dois importantes valores perpassam por todo este trabalho: o permanente diálogo e o respeito mútuo.

Porém é necessário que os educadores tenham o desejo de praticar ações educativas que envolvem o fazer do outro em variadas e significativas situações de aprendizagem.



Pedagogia Afetiva: uma nova arte de educar.

Uma nova forma de conduzir o ser humano em desenvolvimento atendendo suas características de um ser complexo, dotado de CORPO, ESPÍRITO, RAZÃO e EMOÇÃO.

Propõe que os educadores propiciem um espaço maior para o desenvolvimento da AFETIVIDADE, base da vida humana.

Apresenta “o quê” e “como” fazer para que esta AFETIVIDADE aflore, aconteça em nossas salas de aula, em nossos lares, em todos os lugares que possuem seres humanos em formação.

Apresenta as características das primeiras fases do desenvolvimento humano e a importância dos LIMITES na formação da personalidade humana.



Aprender tem que ser gostoso... Em busca de uma intervenção pedagógica mais significativa.

Este tema apresenta os NÚCLEOS INTERESSANTES, uma prática pedagógica que segue as linhas dos métodos socializados pesquisando seus temas nas necessidades humanas e no meio no qual o aluno está inserido.

O “APRENDER TEM QUE SER GOSTOSO” coloca a MOTIVAÇÃO como via principal da APRENDIZAGEM e ao desejo de crescer que é próprio do ser humano.

Lembra que nossas maiores realizações sempre estão vinculadas ao prazer que sentimos na ação de executá-las.

Estimula o educador a refletir sobre uma AÇÃO PEDAGÓGICA mais significativa e prazerosa em consonância com os QUATRO PILARES BÁSICOS DA EDUCAÇÃO. Afinal, a Escola não pode andar na contramão da História da Humanidade.



Alfabeto Corporal: uma nova forma de linguagem.

É um relato de experiências sobre uma atividade de psicomotricidade que estimula o desenvolvimento humano em seus aspectos bio-psico-social-emocional.

Seus MOVIMENTOS SIGNIFICATIVOS proporcionam equilíbrio, postura, coordenação motora, lateralidade, flexibilidade, tonicidade muscular, ritmo e harmonia na expressão corporal e criatividade.

Uma forma de comunicar nossa NATUREZA INTERIOR com o mundo exterior aliviando as tensões que sobrecarregam o nosso EU.



Ritmos do Eu: um novo olhar ao desenvolvimento humano.

Na natureza tudo é cíclico, rítmico e o ser humano faz parte dessa natureza.

O homem possui um ritmo mais complexo. Sofre influência dos ritmo EXTERNOS e do próprio ritmo INTERNO.

Este tema envolvente estimula uma auto-análise entre os participantes proporcionando uma visão sobre os TEMPERAMENTOS HUMANOS e a AÇÃO PEDAGÓGICA sobre cada um deles.

Quanto mais informações sobre o ser humano, mais compreensão teremos sobre suas características, aumentando as possibilidades de acertar na condução da sua formação.



Educar para transformar: a interação do conhecimento e da ação humana.

A modernidade passa por TRANSFORMAÇÕES que acontecem de forma cada vez mais acelerada.

Precisamos PERCEBER e ATENDER as exigências desta era planetária que deverá ser formada por pessoas dotadas de inteligências estratégicas, que apostam num mundo melhor, atendendo as necessidades do ser humano em harmonia com a natureza, o cosmo, a realidade.

É necessário ter o desejo de fazer parte de uma AÇÃO EDUCATIVA que envolve o fazer do outro em variadas e significativas situações de aprendizagem.

O que o meio disponibiliza e o que a escola se propõe a transmitir devem estar conectados, integrados com o desenvolvimento humano e o MUNDO em TRANSFORMAÇÃO.



Educar para ser: a necessidade de ultrapassar o ensino acadêmico.

O profissional da Educação vive num contexto social que não se limita apenas a temas acadêmicos. Hoje a prática docente requer uma ação educativa que estimule o DESENVOLVIMENTO INTRA e INTERPESSOAL por meio de experiências coletivas significativas.

O CONHECIMENTO é importante, mas quem vai gerenciar tal conhecimento tem que ser uma pessoa melhor, capaz de CONVIVER harmoniosamente com seus semelhantes.

De acordo com esta perspectiva, podemos afirmar que os docentes precisam desenvolver a COMPETÊNCIA EMOCIONAL, tornando-se um gestor de informações, um líder capaz de estimular a ética e a cidadania nas futuras gerações...


Relações Interpessoais: o desafio da convivência humana.

Os estudos dos fenômenos sociais surgiram por imposição da evolução da humanidade e sua crescente complexidade.

A modernidade exige das organizações novas atribuições e competências que estimulam uma revisão de valores sobre as RELAÇÕES INTERPESSOAIS.

É importante também dominar técnicas que auxiliam a SUPERAR as dificuldades nas relações humanas.

GRUPOS SINTONIZADOS maximizam resultados, eliminado desgastes emocionais, stress, tensões.



Motivação: fator decisivo para a ação humana.

Nada acontece em nossas vidas, nenhum passo é dado se não temos um MOTIVO.

O ser humano possui INTELIGÊNCIA e VONTADE.

A inteligência nos permite distinguir as situações, faze uma leitura do mundo que nos cerca. Mas é a VONTADE que nos faz caminhar, que nos faz realizar, agir, vencer.

A minha inteligência poder dizer FAÇA, mas é a minha VONTADE que vai determinar a minha AÇÃO.

Este tema proporciona um melhor desempenho pessoal, pois, permite aos participantes entender as funções dos motivos em suas vidas distinguindo o que ESSENCIAL, IMPORTANTE ou ACIDENTAL.



Limite é sinal de amor.

A MODERNIDADE exige das famílias uma jornada de trabalho cada vez maior.

Independentemente do pouco tempo que pais e educadores permanecem com crianças e adolescentes é importante a questão do estabelecimento de LIMITES.

Na família ou na escola, quando se fala de limites a primeira idéia que se tem é de RESTRIÇÃO.

Ao contrário do que se pensa o ser humano em formação codifica o limite como um sinal de amor, pois, só quem ama verdadeiramente tem coragem, paciência, persistência de estabelecer limites.



Pais: proativos ou reativos?

É preciso esclarecer aos pais características básicas de cada fase do desenvolvimento humano para que eles possam entender AÇÕES e REAÇÕES de seus filhos.

Este tema também coloca a importância da PARTICIPAÇÃO dos pais no campo das relações, estimulando a prática de DIÁLOGO proativo e as relações afetivas pais/filhos.



Adolescência: intervenções possíveis que minimizam conflitos.

É importante SENSIBILIZAR pais e professores para esta fase tão importante da vida.

Precisamos ENTENDER e ACOLHER as diferenças individuais que se complexam com as características próprias da ADOLESCÊNCIA.

Também é importante conhecer os TOQUES PSICOLÓGICOS que fazem a diferença na comunicação com os adolescentes.


Agência Digital ICOMP